terça-feira, 14 de abril de 2009

Aparição


Um livro escrito por Vergilío Ferreira com uma mensagem filosófica profundamente entranhada. O autor conta-nos a história da sua vida através de uma personagem ficticía "Alberto", que no fundo é o autor com outro nome. Ele conta a sua história, e lá pelo meio volta atrás e recorda coisas da sua infância e juventude.


Ficamos a conhecer a história de Alberto (e a do autor, por serem a mesma), na sua estadia em Évora, cerca de 1 ano lectivo, e de tudo o que ele aí passou, incluindo uma relação no mínimo estranha com Sofia, e um impasse com Ana, que nunca se percebe bem se gosta ou desgosta de Alberto, pois tanto o convida para jantar, como a seguir, no próprio jantar contraria completamente todas as suas teorias. Vemos também a sua relação com Bexiguinha, um seu aluno da faculdade, e que tem teorias muito parecidas com as dele, mas que acaba por ficar apanhado da tola, entre outras personagens que muito sinceramente não me lembro do nome, e também não quero contar demasiados pormenores.

Sobre a escrita de Vergilío Ferreira, só posso dizer que adoro. Gosto da maneira como ele escreve, as suas descrições, os seus diálogos... Uma escrita ao mesmo tempo simples e complexa, mas no entanto de fácil entendimento para quem esteja com um mínimo de atenção.

Contudo, não gostei propriamente do livro. Gostei razoavelmente, vá... A escrita é realmente muito boa, mas a história em si desperta pouco interesse (tirando os acessos de loucura de algumas personagens, e o sangue por ali derramado).

Resumindo, não aconselho nem desaconselho. A escrita é boa, o livro safa-se. A história é um bocado desinteressante, e se quem não gosta de filosofia pode esquecer este livro. A sério.

7 comentários:

Anonymous disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Olive Tree Guitar Ensemble disse...

Hi, it's a very great blog.
I could tell how much efforts you've taken on it.
Keep doing!

Rui Bastos disse...

Hi, and thank you, visit us anytime!

Pedro disse...

Mais uma vez... Li este livro e ADOREI!

Mas... Foi em condições pessoais muito especiais. Aliás, conheço muito pouca gente (na verdade, apenas duas pessoas) que gostaram deste livro... Acho que, para o apreciar devidamente, é preciso lê-lo na altura certa. Fui sortudo, portanto.

Esteve na minha estante durante dois anos, à espera de ser lido (imagina a minha vontade de começar!). E quando finalmente encontro oportunidade, pego nele e devoro-o. E como gosto de filosofia, ainda gostei mais! =D Todo aquele existencialismo contagiou-me... (e adoro a cidade de Évora LOL)

Adorei, é dos meus livros preferidos. No entanto, aconselho-o com alguma moderação.

Rui Bastos disse...

Não diria que o adorei, mas gostei moderadamente, vá! Como também gosto de Filosofia, isso atraiu-me um bocado, e simplesmente adorei a escrita do autor! Mas a história em si não me despertou muito interesse...

Mafalda disse...

Eu comecei a ler no ano passado por causa da disciplina de Literatura, confesso que nao acabei mas aquilo que li (até ao cap.7) gostei! Tenho de ver se recomeço e acabo.

Rui Bastos disse...

Sim, acaba. Os livros não se deixam a meio, por piores que sejam^^ e este merece ser acabado, se gostaste do que leste xD