sábado, 18 de abril de 2009

O filho de Odin


Triste. Sem nexo. Imaturo. Fútil. Infantil. E porque não podemos falar só de bons livros, apresento-vos O filho de Odin um wanna be High Fantasy, escrito por um miúdo de 15 anos, fã de PS2, arrogante até à ponta dos cabelos, filho de figuras públicas e com uma noção esquisita quanto à língua portuguesa. Diz querer ser um escritor moderno do Séc. XXI, e espera vir a publicar muitas mais obras. Eu e todos os leitores coerentes que tiveram a infeliz experiência de ler O filho de Odin, esperamos que isso não aconteça. Escrita pior do que a que é utilizada na revista Maria, Protagonista que é notoriamente um prótotipo do próprio autor com grandes parecenças ao Action Man, Dráculas misturados com monges esquisitos que o ressuscitam, e depois são fulminados por raios laser, e personagens com a personalidade de um peixinho doirado. Na contra-capa contamos com os comentários amigáveis dos amigos dos papás do autor João Zuzarte Reis Piedade, como o do grande Ruy de Carvalho, Rui Veloso (nunca pensei) e Pedro Granger, que acha aquela coisa à qual chamam livro FABULÁSTICA!


E outra coisa, corrijam-me se estiver enganada: orcs não são uma invenção exclusiva de Tolkien?? Bem, eu sou a favor de jovens talentos, mas isto? Li o livro em 4 horas, e quando cheguei ao fim pareceu-me que tinha acabado de ler uma composição de um miúdo de 8 anos para a escola. Com tantos escritores jovens de qualidade a quererem publicar bons livros, e aparecem-nos prendas destas só porque os pais têm dinheiro para isso!...

Hum... e esqueci-me de informar de que o nada irrealista autor pretende fazer um filme da sua magnifica obra?


Boas leituras, (O filho de Odin não está incluído)

By A.

6 comentários:

Pedro disse...

Não vou ler.

De certeza.

Não é a primeira crítica negativa que leio.

Rui Bastos disse...

Este é daqueles que nem merece ser chamadado livro...

DiAleX disse...

Concordo inteiramente com o que aqui foi dito. O livro é exageradamente óbvio, linear, incoerente e vazio.
O livro num todo é uma autêntica salgalhada de lasers, deuses, pistolas, jogos de computador, que foram juntos à força bruta.
Também acho que se fossem as figuras públicas por detrás deste lançamento, a esta altura não estávamos a discutir este "livro"; o que é certo que já há uma sequela. "E esta hein?" Triste editoras portuguesas...
(P.S: dê uma visitinha ao meu blog =P)

DJ Soru disse...

Peço desculpa mas acho que estes comentários foram feitos por gente que nunca viu um anime. Eu acho que os livros dele ajudaram-me a entrar no mundo dos animes ao mostrar-me uma amálgama estranha e "hilariantemente" ridícula que me habituou ás séries que iriam trazer-me à escrita de fanfics e eventualmente, à minha namorada, com quem ando há um ano. Acho que se não fossem as obras tresloucadas de João Piedade, eu estaria a jogar Modern Warfare 3 e a ser um asno.

Anónimo disse...

Infelizmente o meu irmão emprestou-me este livro. Fiquei chocada e aterrorizada por terem consentido a publicação de "O Filho de Odin".

Plágio puro sem conta a diversas personagens do World of Warcraft, até o nome kalthazad é uma adaptação de Kel'thuzad. Por favor traduzam para inglês para que a Blizzard mande a matilha de advogados para cima desta coisa.

Agarrar num conjunto de obras e com isso fazer um cocktail chamado livro não é ter criatividade nem imaginação, é cara-de-pau mesmo!

Uma coisa que o caríssimo autor deveria saber é que imaginário colectivo, não é usar o que quiser de obra com autor sem uma única referência, pedido de autorização ou nota de rodapé.

Volte para a escola por favor! e não falte a nenhuma aula de ética e moral.

Tente ao menos perceber o lore dos paladinos do world of warcraft e aja de acordo.






Anónimo disse...

amei ler o livro pt xd o joao escreve mt bem parabens xd