terça-feira, 29 de dezembro de 2009

As Dez Figuras Negras


Já há muito tempo que não lia nada da rainha do suspense, e este livro soube-me bem. Logo ao início, uma premissa intrigante deixa-me em pulgas: 10 pessoas, aparentemente sem qualquer ligação entre si, reunidas na mesma casa, para umas supostas férias.

Chegados à casa, todos eles são acusados de um rol de crimes, mas crimes especiais, crimes que não são punidos pela Lei, ou praticamente impossíveis de se provarem como crimes. Aquilo a que eu chamaria "crimes perfeitos". Algumas das vezes não propriamente crimes em que se agarra numa faca e se mata alguém, mas sim crimes morais, crimes que não são condenados, porque não são verdadeiramente ilegais.

Depois desse acontecimento, começam a morrer pessoas. Uma a uma, as pessoas na ilha vão morrendo, seguindo, de forma arrepiante, uma antiga lengalenga infantil.

Do princípio ao fim, não se faz a mais pálida ideia de quem é o assassino. Eu, pessoalmente, confesso que só descobri mesmo no último capítulo, e foi porque ele confessou. Toda a história é genial, e embora não apareça nenhum dos famosos detectives de Agatha Christie, como o peculiar Poirot ou a intrépida Miss Marple, a verdade é que este é, sem dúvida, um dos melhores livros desta autora.

A forma como os acontecimentos se desenrolam, chegando até a alturas em que nos parece impossível ocorrer outro crime, mas ele, no entanto, acontece. De destacar, o arrepiante pormenor das 10 figuras negras em cima da mesa, que vão desaparecendo à medida que as pessoas vão morrendo, que apenas aumenta o mistério que envolve toda a situação.

Com um final simplesmente soberbo, não sei que mais dizer acerca deste livro, a não ser: leiam!!

4 comentários:

Sophie disse...

Adoro os livros da Agatha.
Já li este e, como é costume, os suspeitos vão-se alternando ao longo da leitura. Por acaso, desta vez, tinha-me passado pela cabeça quem era o assassino, porque não se ouve o tiro aquando da sua suposta morte... Mas até ao fim fica sempre aquela incerteza que só é desvendada nas últimas páginas...

Rui Bastos disse...

Sim, característica comum nela, é realmente o fazer parecer que toda a gente é o assassino!

Anónimo disse...

Este livro é fascinante! Mesmo sem os detectives tão característicos de Agatha Christie, este livro, na minha opinião, é o meu favorito... pensei que, depois de ler «Um Crime no Expresso do Oriente», nenhum outro me surpreenderia tanto como este me surpreendeu... Sou um fã incondicional de Christie, por isso, peço que postem mais informação sobre os seus livros. João Mateus

Sofia disse...

Este livro é realmente surpreendente, só que em tanto me decepsionou* Já li dois livros da Aghata Christie: As dez figuras negras e O assassinato de Roger Ackroyd. Muito legal...



Lendo de Tudo
http://so-soline.blogspot.com