domingo, 3 de outubro de 2010

A Proporção Áurea - A linguagem matemática da beleza

Por muito estranho que pareça, a Matemática tem-se vindo a tornar numa disciplina da qual gosto bastante. E isso é mesmo muito estranho, se se tiver em conta, que durante uns 10 anos, não a podia ver à frente, embora tivesse boas notas.

Pois agora, a verdade, é que é uma das minhas disciplinas favoritas, e este livro, que trata, especificamente, do fi, o chamado número de ouro, encheu-me as medidas, matematicamente falando. Em termo literários não é nada de especial, mas com é um livro mais ou menos científico, está perdoado.

Digo mais ou menos, porque não é um livro técnico, daqueles aborrecidos, que uma pessoa sem conhecimentos da matéria da questão não percebe nada. Mas também não é brincadeira nenhuma. É um livro com peso e medida, que tanto pode maravilhar o leigo, como entreter o especialista.

E o número de ouro é realmente fascinante. Está presente em quase tudo, especialmente na natureza, embora alguns exemplos possam parecer ligeiramente forçados, como o próprio autor diz, no livro. Desde as proporções das folhas, o crescimento de árvores e outras plantas, a disposição das sementes nos girassóis, até aos quadros dos grandes mestres, como A Mona Lisa de Leonardo Da Vinci.

É claro que é mais fácil de se ler se se tiver alguns conhecimentos na área da Matemática, principalmente por causa de alguns demonstrações e conceitos, que podem ser complicados de compreender e/ou assimilar (que tal  algo com perímetro finito e área infinita?), mas que também se lê igualmente bem sem esses conhecimentos, já que contextualiza tudo em termos históricos, incluindo pequenas biografias de várias personagens histórias relevantes, e consegue desenvolver as teorias de forma leve, e pouco densa, com linguagem acessível.

De destacar, ainda, os anexos, onde vêm excertos dos textos originais que falam sobre o número de ouro. Estes sim, já extremamente técnicos, e muito complicados de compreender, até para quem já tenha bons conhecimentos disto, mas que não deixam de ser uma preciosa e interessante adição ao livro. E, é claro, a detalhada biografia, para que se possa pesquisar mais sobre os assuntos tratados no livro.

Aconselho, portanto, a quem gosta de Matemática, mas também a quem não gosta. Quem não sabe, não ficará rendido?

3 comentários:

Jacqueline' disse...

Sim, claro. Pedimos desculpa por não termos dito nada antes, mas devo ter apagado sem querer o alerta da mensagem. Excelente iniciativa, by the way!

Arisu disse...

Obrigada pelo apoio Jacqueline :D

Anónimo disse...

gostaria de saber onde posso comprar o livro?

àrea de Lisboa ou Vila Real