quarta-feira, 1 de Maio de 2013

A Magia dos Ventos (A Saga de Alex 9 #3)

Título: A Magia dos Ventos
Autor: Bruno Martins Soares

Opinião: Como conclusão da trilogia não está nada mal. Tem até uma qualidade superior aos outros dois livros. A escrita está melhor, a gestão das linhas narrativas, as descrições de acção, a rarefacção de "AHAHAHAHAH" e afins... Mas falha em pontos essenciais que me impedem de o achar um bom livro e, consequentemente, de achar que esta é uma boa trilogia.

Nomeadamente na gestão das linhas narrativas, que é aquilo que para mim esteve pior. Eu disse que estava melhor, não disse que estava propriamente boa. Podem imaginar que ao longo da trilogia há duas grandes linhas narrativas: uma num passado futurista, com Pierre e Kaoru Bach como personagens principais; e uma num futuro medieval, com Alex 9 como protagonista.

Como devem estar à espera, a linha que acompanhamos mais tempo é a segunda *aponta para o título da saga*, que segue Alex 9, e como já mencionei na crítica anterior, eu gostava muito mais de ter seguido a primeira durante mais tempo. Há ainda aquele que para mim foi o principal problema... A certa altura, e quando a história dos mestres de Alex 9 se podia tornar ainda mais interessante, o autor simplesmente deixa de os acompanhar. E tudo aquilo que faltava saber, incluindo as informações sobre o passado de Alex 9 e da sua missão ultra-secreta, é-lhe revelado, e a nós leitores, através de uma carta escondida.

Típico. Banal. Aborrecido. Na minha opinião, Bruno Martins Soares até tinha uma boa história para contar, uma história que se torna mais interessante, ainda que lentamente, com o passar das páginas. E podia tê-lo feito de forma bastante interessante, se tivesse seguido as linhas de narrativas de Alex 9 e dos seus mestres como verdadeiras paralelas que deviam ser, iguais em importância e convergentes para um mesmo final, ainda que nunca se encontrassem. Mas optou por dar mais destaque a Alex 9 e a perder muito tempo com os seus pseudo-dilemas de mega-ninja-vinda-de-um-passado-distante-e-transformada-em-mulher-devota-num-futuro-retrógrado. Acho que bastava não lhe ter dado tanto destaque e ter aproveitado para construir uma história mais longa em redor de Pierre e Kaoru, e a história tinha sido muito mais interessante.

Em termos técnicos, acho que a escrita foi melhorando progressivamente, mas nunca perdeu alguns dos seus tiques, que mesmo assim foram sendo cada vez mais controlados. As descrições de batalhas e cenas de acção repletas de e's, a mania irritante de chamar uma certa personagem por todos os seus títulos de cada vez que ela aparecia (4 linhas de títulos! repetidos até à exaustão!), e os gritos e risos a aparecerem escritos, entre outros de menor importância.

Portanto, no geral, achei a trilogia mediana. A qualidade dos livros vai melhorando, juntamente com a da escrita, mas nunca nenhuma se destaca particularmente, e a insistência em Alex 9 acaba por prejudicar a saga. Mas ficarei atento a futuros livros do autor, que com estes na bagagem acredito ser capaz de escrever algo melhor.

Sem comentários: