segunda-feira, 28 de abril de 2014

The Necromancer (Johannes Cabal #1)


Autor: Jonathan L. Howard


Opinião: Divertido até ao tutano. Acho que a minha opinião fica por aqui. A sério, podia perfeitamente não dizer mais nada. Aquela frase inicial já vos diz tudo o que precisam de saber: ler este livro é embarcar numa longa viagem de figuras tristes (quando desatarem a rir sozinhos em público), dores musculares (de tanto rir), e vista turva (de lerem durante tanto tempo seguido).

Sim, este livro é viciante, engraçadíssimo e muito bem escrito. É o primeiro romance de Jonathan L. Howard, que antes se dedicava a criar jogos de computador, mas não parece. O humor tipicamente britânico está muito presente, aqui permeado pelo macabro, com uma boa escrita, uma história interessante e personagens fantásticas, com destaque para Johannes Cabal, o necromancer do título, e o seu irmão Horst Cabal que, bem... é peculiar.

Juntos, têm que reunir cem almas no espaço de um ano, para que Johannes vença uma aposta feita com o próprio Diabo e possa recuperar a sua alma, que tinha trocado pelo conhecimento negro que possui e que agora lhe faz falta, já que o seu estado sem alma interfere com as suas experiências.

E qual a forma perfeita de fazerem isto? Com uma feira ambulante! O diabo tem uma série delas armazenadas, todas perfeitamente diabólicas, como é óbvio, e empresta uma aos irmãos Cabal. O resultado é uma série de situações engraçadas, negras e ocasionalmente bastante dramáticas, numa trama que consegue balançar momentos emotivos com momentos de chorar a rir no espaço de apenas algumas páginas.

Mas a grande vitória do autor são as personagens, como já disse. Johannes é carismático, engraçado, frio e bastante complexo. Há ali claramente um objectivo escondido desde o início e que é perfeitamente perceptível a meio do livro, embora só seja oficialmente revelado no fim, com essa revelação a proporcionar um final fraco para um livro fantástico. Cabal é um homem racional e implacável, que não olha a meios para atingir os seus fins, e de cada vez que abre a boca está muito provavelmente a gozar com alguém ou alguma coisa.

Já o seu irmão, Horst, embora também seja bastante gozão, e uma personagem com características peculiares por si só, é mais ligado às emoções e tem princípios morais mais fortes e bem definidos, razão dos constantes confrontos com o irmão.

E isto tudo sem falar das inúmeras personagens secundárias, como Mr. Bones e o próprio diabo, todas elas a proporcionarem momentos que além de hilariantes, avançam com a história de alguma forma. Isso é uma das grandes proezas do autor, o conseguir contar piadas E uma história.

Como já disse, só o fim é que me desapontou, porque de resto este é um livro excepcional, com o melhor que o humor britânico tem para oferecer misturado com uma boa dose de fantasia macabra. Só não é aconselhado a quem não apreciar humor negro...


'Have you any interest in psychology?' asked Horst.
'Certainly not,' replied Cabal. 'I'm a scientist.'

2 comentários:

Ana/Jorge/Rafa/Júlia disse...

Eu disse-te que era hilariante ;) o final desaponta, mas como a história não é o principal apelo do livro, a mim não me chateou muito... Agora, que é o autor mais engraçado que li nos últimos tempos, isso é!

Jorge

Rui Bastos disse...

Sim, por aí não se perde nada... Agora vá, "compra" os outros!