quarta-feira, 4 de junho de 2014

Prisioners of Time


Argumento: Scott Tipton e David Tipton

Opinião: Acho que já falei disto algures aqui pelo blog, mas não me importo de repetir: sou um fã incondicional de Doctor Who. É a minha série de televisão favorita, e o facto de ter um grande universo partilhado que sai fora do pequeno ecrã e invade livros, rádio, BD's, jogos e tudo o que possam imaginar, só ajuda à causa.

Dito isto, acho que é óbvio que mais dia menos dia tinha que ler qualquer coisa. Mas há tanta coisa! E é tudo tão relativamente complicado de arranjar por cá... Felizmente não há nada como o 50º aniversário para me fazer esforçar um pouco e aproveitar a BD comemorativa, que saiu ao longo de 2013, Prisioners of Time, à velocidade de um comic por mês, cada um mais focado num Doctor, e o último, saído em Dezembro, a conter o confronto final com todos os Doctors e todos os companions.

A opinião geral é que gostei imenso da experiência. Deu para revisitar alguns Doctor, ficar a conhecer outros, deparar-me com alguns dos vilões da era clássica e ainda aproveitar a história e o nível extremo de caos causado por estarem 11 Doctors na mesma divisão.

No entanto decidi fazer uma coisa diferente, para esta opinião. Sou altamente parcial quanto a Doctor Who, seja em que forma for, e mais rapidamente tento desculpar uma falha com lógica retorcida, ao mesmo tempo que impinjo a série a alguém, do que dou uma análise crítica e fiel daquilo que achei da leitura. Portanto agarrei nas notas que tirei depois de ler cada comic, tal como as tirei, e transcrevi-as para aqui.

Aquilo que vão ler são opiniões em estado bruto, nem sempre coerentes, nem sempre com um português muito famoso, mas que me parecem ser uma forma fantástica de vos mostrar aquilo que achei. Eu digo-vos, já não me lembrava do que tinha escrito, e foi como ter o comic a passar-me à frente dos olhos. Momentos chave. Partes aborrecidas. Expressões engraçadas. Tudo porque estas notas estão extremamente expressivas.

Deixo-vos com elas. Vou acrescentar umas notas minhas (dentro de [ ]), de agora, em alguns sítios, para clarificar certas coisas, mas de resto vão ler as minhas opiniões sobre esta BD no seu estado mais puro!

1 - Desenhos terríveis, mas uma representação fantástica do First Doctor, assim como dos companions. Os hartnellisms sempre presentes, a necessidade que o Doctor tem de estar acompanhado... Tudo bem esgalhado. E hey, ZARBI!

2 - Bastante interessante, mesmo não conhecendo o Second Doctor, nem os seus companions. Um deles tem um kilt, though, hurray! Foi bom ver o centro comercial com tantas espécies (algumas delas que consegui reconhecer) e ver a luta do Doctor contra os slave traders, aliando-se a Ice Warrios, mostrando que está do lado do Bem, e não de uma raça em particular. He fights evil and allies with good, no matter who is on either side!

3 - O Third Doctor mais action-oriented, slightly mais dark, o que é bastante agradável, mas este comic foi fraquinho, com os americanos a declarerem a obliteração nuclear da Grã-Bretanha por dá cá aquela palha, e a invasão alien a ser invadida por... nada, really.

4 - Muito fraquinho. Este Doctor não me agradou por aí além, e a história é seriamente palerma, embora tenha uma premissa altamente interessante: um diamante multifacetado que serve como hive-mind para uma raça de seres cristalinos... Mas a forma como a história está contada é que non non non

5 - Bastante interessante, quem diria que este Doctor [achava eu que era um dos Doctors menos interessantes... fool!] conseguia entrar numa história que me agradasse tanto... E brilhante caracterização dos Sontarans.

6 - Quem diria que seria com um dos Doctor que menos me diz, [mais um caso de um Doctor que eu não achava interessante mas que tem potencial para ser dos meus favoritos] que ia aparecer uma das melhores histórias? O retrato do Sixth Doctor enquanto alegre maníaco e perigoso sociopata está fantástico, e o Frobisher [que é basicamente um alien capaz de mudar de forma que costuma parecer um pinguim] é awesome. E depois o fim, timey wimey, com o Tenth a ajudar, great!

7 - Este Doctor é mesmo porreiro. E o Master é um dos poucos vilões verdadeiramente à altura. A Ace também é uma companion mais do que fixíssima! Esta história estava porreira, e cheira-me que a partir do Eight Doctor, a coisa começa a revelar-se melhor...

8 - Um bom Doctor, ainda que mal caracterizado, e uma arte pobre, fazem deste comic bastante mediano. Isto apesar da história relativamente interessante, que peca por ser pouco desenvolvida e se desenvolver mais no tell no que show...

9 - Sendo o meu Doctor favorito, gostei bastante de o ver bem retratado. Não gostei tanto da história, do dilema que não é bem um dilema, mas tudo é compensado com o fim, a aproveitar o tipo com uma entrada USB na cabeça [it's a long story] de forma brilhante! E o Doctor a levar um pontapé na cara e a ficar no chão, a sangrar? Unexpected! Gruesome! E fitting, para o Doctor soldier. Muito bom.

10 - Doctor falador e saltitão, como o Tennant nos habituou na série. Parece foi que teve pouca história, mas foi interessante. Gostei que a escolha de companion tenha caído sobre a Martha, provavelmente a menos apreciada pelos fãs. Encaixa bem, se bem que, e antecipando o que tenho a certeza que aí vem, ver a Donna a gritar por todo o lado por causa deste plano marado do Master e do Adam seria simplesmente hilariante. Nice touch no final terem o Tenth a emitir a mensagem que vimos o Frobisher receber no comic do Sixth...

11 - Mais rápido a chegar ao cerne da questão, o Eleventh deve ser o Doctor melhor retratado nestes comics. Isso provavelmente deve-se a ser um Doctor bastante... alien, engraçado e caricaturesco. Mas a história agora está num momento interessante, e mal posso esperar pelo fim, para ver de que forma é que tudo se resolve...

12 - Uma nice conclusion, com todos os Doctors reunidos e todas as dificuldades de gestão de cenas que isso implica, mas que até são bem tratadas. O fim é o costume para algo de Doctor Who: sentimental, com um sacríficio, etc etc. O Master prova que é um dos GRANDES adversários do Doctor, e provavelmente o mais maléfico.

Espero que tenham percebido alguma coisa e que até tenham ficado com alguma curiosidade para saber mais sobre esta personagem e esta série, que mesmo com 50 anos acabados de fazer, se continua a reinventar. Do comic, fiquei fã! É só uma questão de tempo até pegar em mais qualquer coisa, e todos sabemos que o tempo não problema para o Doctor...

3 comentários:

Jules Pijey disse...

DOOOOCCCTTOOOOOOOOR!

Tenho de reler isto tudo. Acho que merecem para apanhar mais uns pormenores das companions e tal. Depois que os ler ia cuscar coisas desse doctor. Agora que estou mais sábia tenho de reler! :)

Rui Bastos disse...

Podes sempre perguntar cenas aqui ao je :D

Jules Pijey disse...

Por favor, menino! xD