segunda-feira, 7 de julho de 2014

Darkly Dreaming Dexter (Dexter #1)


Autor: Jeff Lindsay


Opinião: Fã da série do princípio ao fim, não consegui resistir ao livro em que tudo se baseia. Ainda por cima estava a um preço absolutamente estapafúrdio: um euro.

Para quem não conhece, Dexter é uma série sobre um homem aparentemente normal - eu diria até que ele transpira normalidade - com uma família, uma vida profissional e social completamente insuspeita, mas que tem um segredo... É um assassino em série, um dos maiores de sempre, extremamente inteligente, com fortes princípios morais e completamente desligado de emoções.

Dexter Morgan é um auto proclamado sociopata, mas é muito mais do que isso. É uma personagem complexa e fascinante, que tem de balançar a necessidade que sente de matar com o código imposto pelo seu pai adoptivo, que cedo percebeu o que ele era exactamente e decidiu que mais valia canalizar Dexter para fazer alguma espécie de Bem.

Sim, Dexter só mata os maus da fita. E se pensam que estou a falar apenas do que aparece na série, desenganem-se. Depois desta leitura apercebo-me que a série é uma adaptação muito boa, especialmente no que toca à personagem de Dexter, que parece decalcado destas páginas.

A história é porreira, ainda que recheada de coincidências inexplicáveis a mais para o meu gosto, e o resto das personagens também se safa, mas onde Jeff Lindsay realmente brilha é na construção de Dexter, que é o narrador. A voz criada pelo autor para esta personagem peculiar é fria, distante, sardónica, implacável e hilariante a todos os níveis.

Se querem uma prova disto tudo, imaginem o que é conseguirem criar empatia com alguém que vos conta na primeira pessoa como mata este e aquele, com todos os terríveis pormenores; alguém que a meio duma conversa com outra pessoa pensa "se calhar devia matar esta pessoa"; alguém que demonstra não querer saber de ninguém e não sentir praticamente nada. Ou seja, alguém que, objectivamente falando, é uma pessoa horrível. E que ainda assim inspira empatia. Lindsay conseguiu criar uma personagem assim tão boa!

O livro é de leitura rápida, graças aos capítulos curtos, prosa directa e extrema capacidade de cativar o leitor. A história é de facto interessante e queremos virar a página mais que não seja para descobrir qual vai ser a reacção de Dexter, ou que pensamento engraçado vai ele ter face a uma qualquer coisa que achamos mundano mas que para ele é completamente inexplicável.

Isto tudo para dizer que gostei bastante do livro. Não o classifico como um dos melhores livros que já li porque ele é tecnicamente pobre e a história não tem muito sumo. Mas foi um dos livros que mais gozo me deu ler, não só por ser o livro que é, mas por já conhecer (e admirar) a série e ter uma imagem bastante vívida destas personagens. Será que consigo encontrar o resto da colecção? Não sei, mas gostava!

2 comentários:

Jules Pijey disse...

Eu odeio tanto o teu blog. Agora quero ler isto! E ambos sabemos que não pode ser!

Rui Bastos disse...

É complicado... Eu disse para o levares :p